O primeiro conto de Crime de quarto fechado, de Sheridan Le Fanu | Resenha

UMA PASSAGEM NA HISTÓRIA SECRETA DE UMA CONDESSA NA IRLANDA (1838)

Joseph Sheridan Le Fanu (1814-1873) é conhecido no meio literário como autor de uma das mais famosas obras de Terror: “Carmilla”. No entanto, sua obra se estende a outros trabalhos, que passeiam entre o fantástico, o gótico e o policial. E uma de suas obras menos conhecidas no Brasil está o conto Uma passagem na história secreta de uma Condessa na Irlanda, publicado pela primeira vez em 1838, na Dublin University Magazine, considerado por alguns críticos como o primeiro conto de crime de “quarto fechado”.

Joseph Sheridan Le Fanu.
Dixon Slide Collection na Dublin City Library & Archive digital.libraries.dublincity.ie

Além disso, “Uma passagem na história secreta de uma Condessa na Irlanda” apresenta um elemento, curiosamente, pouco explorado até hoje dentro desse gênero: a história de um crime de quarto fechado narrada do ponto de vista da vítima. Aqui acompanhamos a tragédia da Condessa D_____, contada por ela mesma em uma longa carta entregue a um narrador anônimo. Herdeira de uma fortuna, a protagonista é enviada aos cuidados de seu tio paterno, que administra uma mansão, onde mora com seus dois filhos e uma empregada. Desde o início, o leitor tem ciência de uma tragédia ocorrida na família, anos atrás, e que algo muito errado está acontecendo naquele lugar. Sozinha e sem saber em quem confiar, a futura Condessa começa a perceber que não há escapatória desse pesadelo e que é uma questão de tempo até que o verdadeiro Mal se revele e a morte recaia sobre os personagens.

Lápide no Mont Jerome Cemitery – Dublin / Irlanda.

Utilizando o recurso das narrativas emolduradas, Le Fanu situa o leitor dentro de uma trama claustrofóbica, no melhor estilo gótico, com mansões enormes e corredores escuros, segredos familiares e o medo diante das incertezas. É notável como o autor constrói uma narrativa atmosférica, aumentando a tensão gradualmente, mergulhando a personagem em uma espiral de medo e angústia. E, mesmo o leitor sabendo de antemão que ela permanecerá viva para nos contar sua história, nada lhe preparará para o que o aguarda num desfecho surpreendente.

Pesquisa iconográfica por Helena Do2z

Um conto que, certamente, chocou o público do Século XIX e vai surpreender os leitores da antologia CRIMES IMPOSSÍVEIS: CRIMES DE QUARTO FECHADO, organizada por Braulio Tavares e em financiamento coletivo pela Bandeirola Editora que, a exemplo de “O Doutor Negro“(Sir Arthur Conan Doyle), “A Ilha das Almas Selvagens” (H.G. Wells) e “Vestígios: Mortes nem um pouco naturais” (Sandra Abrano), vem apostando no que há de melhor nas histórias de mistério da Literatura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *